quarta-feira, 11 de abril de 2012

Orgulho.

Aquela carência, aquela ausência.
Uma vontade de soltar essa vontade disfarçada pela minha vaidade.
Talvez, minha insegurança venha da comum falta de decência a minha volta.
Por causa dele, nem mesmo sussurro pedindo companhia , um abraço sequer. 
Aqui dentro ainda tem algo que desconfia, que observa bem o plano, antes de pisar realmente.

Um comentário:

  1. E de que adianta tanto orgulho, se ele te impede de viver?!
    Adorei

    ResponderExcluir